quinta-feira, 4 de junho de 2015

Tratar problemas de fertilidade masculina

No mundo da fertilidade os equívocos são muito comuns. Um mito popular consiste em acreditar que a infertilidade é um problema da mulher e que uma vez resolvido esse "problema", o casal ficará apto a conceber. Esta ideia não podia estar mais longe da verdade. Com efeito, em quase 30% dos casos de infertilidade, a causa prende-se com um fator masculino e 30% dos casos a causa deve-se a fatores relacionados a factores relacionados tanto com a mulher como com o homem. Há menos de uma década, o tratamento da infertilidade com um fator masculino grave limitava-se ao recurso a inseminações ou técnicas de reprodução medicamente assistida (FIV- fertilização in vitro) com esperma de dador.
Atualmente, os progressos impressionantes alcançados no domínio da infertilidade masculina introduziram opções terapêuticas inovadoras que oferecem aos casais uma oportunidade muito maior de conceberem os seus filhos biológicos.
O diagnóstico e o tratamento da infertilidade representam um processo demorado e dispendioso que pode ser frequentemente facilitado e abreviado se os dois membros do casal colaborarem desde o início com os respectivos médicos especialistas em fertilidade.

Problemas de fertilidade

A conceção humana é um processo difícil e complexo. Um esperma que funcione normalmente acabará por completar o percurso até à fertilização. Ou seja, os espermatozoides irão atravessar o muco cervical, percorrer toda a extensão do útero e entrar na trompa de Falópio.Uma vez no interior da trompa de Falópio, o espermatozoide tem que encontrar o óvulo, penetrar na camada protetora e a membrana interna deste e, finalmente, fertilizar o óvulo. Para aumentar as oportunidades de conceção do casal, pode ser necessário que o marido se submeta a testes de avaliação do esperma.

A qualidade do esperma produzido por um determinado indivíduo pode ser afetada por muitos fatores.
Os estudos mostram que os estilos de vida modernos, juntamente com a exposição à poluição e a outros fatores de stress, podem pôr em risco a saúde do esperma de um indivíduo.
Um exame inicial de fertilidade masculina inclui o historial médico, avaliação das hormonas masculinas em casos específicos, e uma ou mais análises ao sémen, que avaliam o volume, o número e concentração dos espermatozoides num ejaculado, a capacidade de movimento espontâneo num ejaculado, e de progressão e a normalidade morfológica dos espermatozoides.

A fisiologia reprodutora masculina

Tal como acontece na reprodução feminina, a reprodução masculina é influenciada pelas hormonas, exigindo o normal funcionamento do eixo hipotálmo- hipófise. tal como nas mulheres, a hormona libertadora de ganadotropinas (ou GnRH) é libertada, pelo hipotálamo de forma pulsátil, estimulando a libertação da hormona folículo- estimulante (FSH) e a hormona luteinizante (LH). Nos homens, a LH estimula sobretudo a produção de espermaqtozoides. Os testículos devem ter a capacidade de responder a este estímulo hormonal. Além disso, deve existir um sistema ductal intacto para transportar  o esperma até ao canal por onde é ejaculado, a uretra.

Os órgãos genitais masculinos consistem no escroto, que aloja os dois testículos e os sistemas dutais associados (epidídimo e os dois canais deferentes) e o pénis. Os testículos estão revestidos por uma camada fibrosa densa, deignada túnica albugínea, que divide os testículos em lóbulos. Cada um dos 200 a 300 lóbulos contém uma três túbulos seminíferos longos e enovelados, em cujo interior são produzidos os espermatozoides.

Contrariamente aos óvulos na mulher, no homem os espermatozoides são produzidos ao longo de toda a vida. Durante a espermatogénese e transporte através do trato reprodutor masculino, cada espermatozoide é tranformado numa célula altamente

especializada com motilidade própria e capacidade enzimática para penetrar no óvulo. A função epididimal deve ser normal e as glândulas acessórias devem ser funcionais para poder ser produzido um plasma seminal normal.Também é necessário um sistema nervoso intacto para permitir a ereção do pénis e uma ejaculação normal.

A infertilidade masculina
Causas
  • As causas da infertilidade masculina podem ser organizadas em três grupos:
  • Problemas com a produção de espermatozoides
  • Problemas de obstrução dos ductos e canais do trato reprodutivo masculino
  • Problemas com a ejaculação ou ereção
Os problemas com a produção de espermatozoides são de longe a causa mais comum das três, e podem ser detetadas durante a análise seminal (designada espermograma). Existem muitas causas para uma produção anormal de espermatozoides, incluindo problemas genéticos, exposição ao calor ou a químicos tóxicos, drogas e medicamentos, desequilíbrio hormonal e stress oxidativo.

Meio ambiente, estilo de vida e fertilidade

Durante as últimas décadas, o impacto da industrialização na saúde reprodutora tem sido motivo de preocupação. Esta preocupação deriva em grande parte dos estudos que mostram qua a qualidade do sémen dos homens na Europa e nos Estados unidos tem vindo a diminuir ao longo da segunda metade do século XX.
As toxinas ambientais referidas com maior frequência enquanto potenciais causadoras de infertilidade podem ser agrupadas em fatores físicos, químicos, ocupacionais e de estilo de vida.

Stress oxidativo:
o inimigo da saúde do esperma?
As espécies reativas de oxigénio (ROS), incluindo os radicais livres, são como pinballs químicas fora de controlo, que saltam desordenadamente causando danos as células como os espermatozoides.

De que forma é que a saúde do esperma é ameaçada pelo stress oxidativo?
o stress oxidativo no trato reprodutor masculino resulta na lesão da membrana plasmatíca do espermatozoide podendo perturbar a capacidade fecundatória do espermatozóide
O ADN contido no esperma é afetado pelo stress oxidativo com perda de intregridade da informação genética e reduzindo as possibilidades de fertilidade
O strees oxidativo contribui para uma diminuida capacidade de progressão e migração dos espermatozoides.
Evitar o stress oxidativo e melhorar a saúde do esperma
  • Fale com o seu médico sobre os medicamentos que está a tomar atualmente, porque alguns medicamentos podem afetar a saúde do esperma.
  • Evite o contacto com produtos químicos no trabalho e em casa.
  • Um sono adequado e a prática de exercício são essenciais para a saúde em geral, contribuindo também para a saúde reprodutora
Atenção: a pratica excessiva de ciclismo pode ter um efeito negativo
Mantenha um peso saudável- Ter um bom índice de massa corporal (IMC) é importante para a saúde  e o bem estar geral, contribuindo para a sáude reprodutora.

Que mais pode fazer?
Evite o álcool e o tabaco:
Foi demonstrado que o fumo, incluindo o fumo passivo, e o consumo excessivo de álcool prejudicam a saúde do esperma

Tenha relações sexuais no momento indicado:

As relações sexuais regulares otimizam as possibilidade de engravidar
Também é importante saber quando a companheira está a ovular. Fale como seu médico que o pode ajudar a calcular quando ocorre o período de ovulação

Evite roupa interior apertada, banhos quentes e cobertores elétricos:
Estes aumentam a temperatura dos testículos e podem reduzir a saúde do esperma.

Procure relaxar e evite o stress:

Estes aumentam a temperatura dos testículos e podem reduzir a saúde do esperma.

Procure relaxar e evite o stress:
O stress pode afectar a relação entre o casal, reduzir a líbido e a frequência das relações sexuais.

Mantenha uma alimentação adequada:

  • Uma dieta saudável (equilibrada) é essencial para a saúde em geral, contribuindo também para a saúde reprodutiva.
  • Inclua na sua dieta alimentos ricos em antioxidantes
  • Legumes, especialmente alcachofras, bróculos
  • Feijões, especialmente feijão comum e feijão de debulhar
  • Frutos secos, especialmente avelãs, nozes-pecan e nozes
  • Grãos, especialmente sorgo
  • Fruta, especialmente arandos, mirtilos, amoras, maçãs vermelhas e verdes
  • Chocolate negro
Considere a possibilidade de tomar um suplemento alimentar como o Spermox

Tratamento
Qualquer tratamento de fertilidade só surte efeito sobre a qualidade do sémem aproximadamente três meses depois do seu início- uma vez que é esta a duração de cada ciclo de espermatogénese, ou produção de espermatozoides. Se não for indicada uma terapêutica cirúrgica ou médica, é possível o recurso a técnicas de reprodução assistida.
No momento de escolher um plano de tratamento, devem ser tidos em consideração os objetivos a longo prazo de cada casal, os constrangimentos financeiros e os resultados da avaliação da mulher além dos dados relativos ao fator masculino.

Terepêutica
As terapêuticas mais bem sucedidas no que diz respeito à infertilidade masculina passam pela reversão dos desequilíbrios químicos, infeciosos ou endócrinos. Estes processos normalmente obtêm bons resultados porque o tratamento é baseado na correção de problemas bem definidos.
A associação de poderosos antioxidantes contribui também para obter resultados em casos de infertilidade masculina.

Técnicas de reprodução medicamente assistidas
Além dos tratamentos clínicos ou cirúrgicos de infertilidade que visam tratar condições de saúde específicas no fator masculino, também desenvolvida uma outra classe de tratamentos - designados de tratamentos de procriação medicamente assistida (PMA). As técnicas de PMA incluem também a inseminação artificial e a mais comum é a Fertilização in vitro (FIV), mas existem outros tratamentos dirigidos ao fator masculino de infertilidade como a:

Injeção intracitoplasmática (ICSI), associada ou não a procedimentos de extração de esperma tais como:
  • Aspiração do ducto deferente
  • Aspiração epididimal
  • Biópsia testicular
  • "Mapeamento " dos testículos
  • Congelamento de sémem
Fonte: EFFIK

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
X

Tratar Saúde

Receba no seu e-mail dicas de saúde

Subscreva a newsletter gratuita.





Pesquisa personalizada