sexta-feira, 25 de abril de 2014

Hidratos de carbono à noite engordam?


Sabe-se que os hidratos de carbono são a principal fonte de energia do organismo e que na sua ausência, o metabolismo desacelera e gasta menos gordura. A dúvida relativamente à ingestão de hidratos de carbono à noite baseia-se no facto de poder existir a tendência para o nosso organismo gastar menos calorias e, desta forma, contribuir para engordarmos.

Um estudo divulgado recentemente pela "Prevention`s Guide" revelou que indivíduos que consomem mais de 50% das calorias após as 17 horas não engordam mais do que os consomem apenas 25% neste mesmo horário.
Outros estudos compararam duas dietas igualmente baixas em calorias e os  resultados revelam que nos casos em que os hidratos de carbono foram consumidos apenas ao jantar houve maior perda de peso, ao contrário do que seria de esperar. Logo, fica desfeito este mito, o importante é ter o cuidado na distribuição das porções adequadas pelo dia e ajustar a cada pessoa, conforme a idade, a altura, e a atividade física.

Se ingerirmos hidratos de carbono em excesso durante o dia podemos engordar, não necessariamente a hora da ingestão que influência mas sim a quantidade e a distribuição pelo dia. Não existe razão para cortar completamente os hidratos de carbono à noite, no entanto, pode dar preferência aos hidratos de carbono menos calóricos, mais digestivos e mais integrais, como exemplo a quinoa, o bulgur, o arroz integral ou o millet.
Fonte: Bioforma

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Hábitos alimentares na gravidez

Em forma na gravidez
Comer bem é importante, tanto para ter uma gravidez saudável, como para que o recém-nascido seja saudável. Ser fisicamente ativa contribui para tornar estes 9 meses mais confortáveis e proporcionar um parto mais fácil.
Faça mudanças agora e seja um exemplo de vida saudável para a sua família durante a sua vida.

O que é um plano de alimentação saudável para a gravidez?
Um plano de alimentação saudável para a gravidez inclui uma variedade de alimentos ricos em nutrientes. O objetivo deste plano é promover a saúde e reduzir o risco de doenças crónicas através de uma alimentação nutritiva e atividade física adequada.

Quantas calorias devo ingerir?
A ingestão de uma variedade de alimentos que garantem calorias suficientes auxilia-a a si e ao seu bebé a aumentarem de pesa adequadamente.

Durante os primeiros 3 meses de gravidez não necessita de alterar o número de calorias que obtém a partir dos alimentos que ingere. Nos últimos 6 meses de gravidez, mulheres com peso normal necessitam de 300 calorias extra por dia. Assim sendo, deverão ingerir no total entre 1.900 a 2.500 calorias por dia.
Se tem baixo peso, peso excessivo ou obesidade antes de engravidar ou se você está grávida de gémeos, poderá necessitar de um número diferente de calorias.

Fale com um profissional de saúde acerca do peso que deverá e de quantas calorias necessita.

Exemplo de opções saudáveis que equivalem aproximadamente a 300 calorias:
  • 1 caneca de iogurte magro e uma maça de tamanho médio.
  • 1 torrada de pão integral com uma quantidade média de manteiga.
  • 1 caneca de cereais muesli com meia caneca de leite e uma banana pequena
  • 80 g de carne magra e o equivalente a meia caneca de batata.
  • 1 tortilha pequena com vegetais cozidos, incluindo porções idênticas de brócolos, pimentos e feijões.

Porque motivo é importante um aumento de peso adequado?
O aumento de peso adequado é saudável e pode tornar a sua gravidez e parto mais confortáveis. Para além disso diminui a probabilidade de vir a ter complicações durante a gravidez, nomeadamente diabetes, hipertensão, obstipação e dores lombares.

Se ganhar peso durante a gravidez poderá dificultar o crescimento adequado do seu bebé. Converse com o seu médico se notar que não está a aumentar suficientemente de peso.

Por outro lado, aumentar excessivamente de peso poderá tornar o parto mais complicado e demorado. Para além disso, o aumento excessivo da gordura corporal tornará mais difícil recuperar o peso adequado após o parto. Se notar que está a aumentar excessivamente de peso, fale com o seu médico.

Não tente perde peso durante a gravidez.
Se não ingerir calorias suficientes ou alimentos variados o bebé não irá obter os nutrientes de que necessita para crescer.


Qual o aumento ideal de peso durante a minha gravidez?
Fale com o seu médico sobre qual o aumento de peso ideal para si durante a gravidez.
As recomendações genéricas de aumento de peso apresentadas em baixo baseiam-se no peso antes da gravidez e aplicam-se a mulheres que esperam apenas um bebé.

  • Se tem peso inferior ao normal, deve aumentar 12 a 18 kg
  • Se tem peso normal, deve aumentar 10 a 15 kg
  • Se tem excesso de peso deve aumentar no máximo 7 kg

Agora que estou grávida,tenho alguma necessidade nutricional especial?
Sim. Durante a gravidez, a gravida e o bebé em crescimento têm necessidades de uma maior variedade de alimentos.
Ao ingerir o número recomendado de porções diárias de cada um dos cinco grupos de alimentos conseguirá obter muitos dos nutrientes de que necessita.

Inclua na sua dieta alimentos ricos em folato, tais como sumo de laranja, morangos, espinafres, brócolos, feijões e cereais de pequeno- almoço.

Para prevenir o aparecimento de defeitos congénitos deverá ter uma ingestão adequada diária de ácido fólico, antes e durante a gravidez. Os suplementos pré- natais contêm ácido fólico, antes e durante a gravidez. Procure um suplemento que tenha pelo menos 400 microgramas (0,4 miligramas) de ácido fólico.

Consulte o seu médico antes de tomar qualquer suplemento multivitamínico/mineral antes e durante a gravidez, bem como durante a amamentação.

Posso continuar a ter uma dieta vegetariana mesmo estando grávida?
Sim. Pode continuar a ter um plano de dieta vegetariana durante a gravidez, mas fale com o médico em primeiro lugar.
Para garantir que está a receber os nutrientes importantes em quantidades suficiente, incluindo proteínas, ferro, vitaminas B12 e vitamina D, o seu médico poderá agendar-lhe uma consulta de nutrição, para a auxiliar a planear as suas refeições. Para além disso, poderá também recomendar-lhe suplementos.

Dicas para uma alimentação saudável
Compreender as necessidades do seu organismo ajuda a evitar alguns desconfortos comuns associados à gravidez.
Tenha em conta estas dicas simples:
Tome o pequeno almoço todos os dias
Em caso de enjoo matinal, opte por comer uma torrada de trigo integral ou bolachas integrais logo ao acordar, mesmo antes de se levantar. Um pouco mais tarde, tome então o seu pequeno almoço habitual, que deve incluir fruta, cereais, leite, iogurte ou outros alimentos recomendados.

Escolha alimentos ricos em fibras
Comer cereais integrais,legumes, fruta, feijão, pão de trigo integral e arroz integral, em conjunto com o reforço da ingestão de água e atividade física diária, pode ajudar a prevenir a obstipação que muitas mulheres têm durante a gravidez.

Tenha alimentos saudáveis sempre à mão
Uma fruteira com maçãs, bananas, pêssegos, laranjas e uvas torna mais fácil fazer um lanche saudável.
Tenha sempre porções de frutas e legumes congelados ou frescos, bem como feijões e grão enlatados, que lhe permitam preparar rapidamente uma refeição equilibrada.
Se optar por frutas enlatadas, certifique-se que são embalados no seu próprio sumo. Além disso, lave os feijões e vegetais enlatados com água antes de os preparar, de modo a remover o excesso de sal.

Se sofre de azia durante a gravidez, faça pequenas refeições várias vezes ao dia
Faça pequenas refeições durante o dia, coma devagar, evite alimentos condimentados e com muita gordura, beba bebidas entre as refeições (em vez de beber às refeições), e não se deite logo depois de comer.

Se tem enjoos matinais ou hiperémese, fale com o seu médico.
Pode ser necessário ajustar a forma como se alimenta, como por exemplo, fazer refeições menores e mais frequentes e beber muitos líquidos. O seu médico pode ajudá-lo a lidar com os enjoos matinais, sem nunca perder de vista os bons hábitos alimentares.

Quais os alimentos que devo evitar durante a gravidez?
Há certos alimentos e bebidas que podem prejudicar o seu bebé se forem ingeridos enquanto estiver grávida. Segue-se uma lista genérica de alimentos e bebidas que deve evitar:

Álcool
Em vez de vinho, cerveja ou outras bebidas alcoólicas,beba sumos, água ou outras bebidas não alcoólicas.

Peixes que possam ter altos níveis de metilmercúrio
O metilmercúrio é uma substância que pode estar presente em alguns peixes e prejudicar o feto. Não coma peixe-espada, tubarão e cavala durante a gravidez.
Evite ingerir mais de 350 gramas de qualquer peixe por semana.

Queijos moles e carnes frias.
Evite queijos tais como feta, brie, queijo de cabra, bem como carnes frias (fiambre, mortadela, paio) e cachorros-quentes. Estes alimentos podem conter uma bactéria chamada Listeria que é prejudicial para o feto em gestação. Cozinhar estes alimentos até ferverem ajuda a eliminar as bactérias e é uma forma de os tornar mais seguros.

Peixe ou carne mal passados
Evite pratos de peixe cru, como sashimi e alguns tipos de sushi e ceviche. Estes alimentos, quando crus ou mal passados, podem conter bactérias nocivas. Cozinhe bem o peixe e a carne antes de comer.

Grandes quantidades de bebidas que contenham cafeína
Se é uma grande consumidora de café, chá ou refrigerantes com cafeína, discuta com o seu médico se deverá continuar a manter Se é uma grande consumidora de cáfe, chá ou refrigerantes com cafeína, discuta com o seu médico se deverá continuar a manter a sua ingestão. Tente uma versão descafeinada da sua bebida favorita, ou outras.

 Tudo o que não seja comida
 Durante a gravidez, algumas mulheres podem desenvolver o desejo de ingerir substâncias que não sejam comida, como por exemplo, argila. Informe o seu médico se tiver desejo de ingerir outras substância para além de comida Conserve com um profissional de saúde e obtenha uma lista completa de alimentos e bebidas que deve evitar.
Fonte: Italfarmaco

domingo, 20 de abril de 2014

Fruta...antes ou depois da refeição?

Esta parece ser, de facto, uma questão um pouco controversa, uma vez que há vertentes que recomendam a ingestão de fruta após a refeição baseiam-se no facto de parecer haver necessidade da presença de vitamina C no estômago. Além do mais, uma elevada concentração de vitamina C parece proporcionar uma melhor ingestão de ferro e tal só ocorre quando se come um alimento rico em ferro juntamente com um alimento rico em vitamina C e as frutas têm-na em grande quantidade.
Quem, por outro lado, defende a ingestão de fruta no início da refeição baseia-se, muitas vezes, no facto de:
  1. Se a ingestão ocorrer após a refeição, o esvaziamento da fruta no estômago demorará mais tempo e poderá ocorrer processo de fermentação, que poderá dificultar a digestão;
  2. Sendo a fruta composta, em grande parte, por açucares (frutose) o processo de saciedade provocado pela ingestão deste componente da fruta bem como a elevada percentagem de água que compõe a fruta pode ajudar a diminuir o apetite e portanto ajudar nos processos de perda de peso.
O melhor é estar atento ao seu corpo e descobrir quando é que tolera melhor a ingestão de fruta. Um sistema digestivo a funcionar em perfeitas condições contribui para um estado de saúde plena!

Fonte: Bioforma

Leia também: 10 mandamentos da Alimentação Saudável 

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Concelhos úteis para doentes com varizes (doença venosa).


Exercite as pernas em todas as ocasiões
  • Evite estar muito tempo de pé ou sentado (o), em particular com as pernas cruzadas.
  • Durante as viagens longas, de carro, comboio ou avião faça movimentos circulares com os pés e sempre que possível ande um pouco para que o sangue circule nas veias.


Evite o calor
  • Evite exposições ao calor do sol, depilação com cera quente, banhos quentes, sauna e vestuário muito quente, uma vez que o calor nas pernas favorece a dilatação das veias e diminui a circulação venosa.
  • Um duche de água fria nas pernas alivia a sensação de peso e dor.
  • Caminhar à beira mar, pode ser útil pois associa o exercício à temperatura baixa.

Use vestuário e sapatos apropriados
  • Escolha um vestuário confortável e largo.
  • Evite usar calças muito justas, meias com elástico ou cintos apertados, que comprimem as veias e bloqueiam a circulação do sangue nas pernas.
  • Os sapatos devem ter um salto idealmente com 3 a 4 cm de altura.

Facilite a circulação sanguínea
  • Antes de dormir faça alguns movimentos de pedalar e levante os pés da cama 10 a 15 cm.
  • Por rotina pratique um desporto apropriado como a marcha, ginástica, natação, ciclismo, dança ou golfe.
  • Previna a prisão de ventre e o excesso de peso, que são factores responsáveis pelo aumento da pressão sanguínea nas veias.

Massaje as pernas frequentemente
  • Uma massagem nas pernas, de baixo para cima, melhora a circulação do sangue nas veias e o seu retorno ao coração.

Fonte:Bial

 Leia também: Como prevenir varizes

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Benefícios da suplementação de iodo na preconceção, gravidez e amamentação

Saiba porque é que a Direção-geral de Saúde (DGS) e a organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam a suplementação de iodo e como ela pode beneficiar a saúde do seu bebé.
O iodo é um nutriente essencial. A tiroide usa-o para produzir hormonas que asseguram o desenvolvimento normal do cérebro e do sistema nervoso da criança logo na gravidez e nos primeiros anos de vida. É, pois, muito importante que as mulheres grávidas e a amamentar tenham os níveis recomendados de iodo.
Existe evidência cientifica que prova que em Portugal o aporte de iodo não atingue os valores preconizados pela OMS, sobretudo nas mulheres grávidas.

Importância do iodo na preconceção
O feto é particularmente vulnerável às alterações provocadas pelas dificiências de iodo numa fase precose da gravidez. Nas mulheres que estão a planear engavidar, há evidência de que a suplementação começa só na primeira visita pré-natal pode já ter sido ultrapassado este período relevante.

Importância do iodo na gravidez
Durante a gravidez, a tiroide está particularmente ativa, produzindo cerca de 50 por cento mais de hormonas tiroideias. Se o aporte de iodo é inadequado antes da conceção, as reservas da mãe podem baixar e serem insuficientes para sustentarem o bebé na fase final da gravidez.

Importância do iodo na amamentação
A OMS recomenda que as mulheres a amamentar também deverão tomar um suplemento de iodo, uma vez que os bebés amamentados exclusivamente estão completamente dependentes do leite materno como fonte de iodo e precisam de 90 a 100ug de iodo por dia.
Os bebés usam este iodo para construírem as suas próprias reservas de hormonas tiroideias.

Como assegurar os níveis adequados de iodo
Para garantir os níveis recomendados de iodo, as mulheres em preconceção, grávidas e a amamentar devem receber um suplemento diário de iodo sob a forma de iodeto de potássio- 150a 200 ug/dia, desde o período preconcecional, durante toda a gravidez e enquanto durar o aleitamento materno exclusivo, durante toda a gravidez e enquanto durar o aleitamento materno exclusivo, recomenda a DGS. Também a OMS aconselha uma dose diária recomendada (DDR) de iodo de 250 ug/dia para grávidas e mulheres a amamentar e de 150ug/dia para mulheres em preconceção.

Consequências da carência de iodo na saúde da criança
Durante a gravidez a carência de iodo envolve maior risco pois, como tem sido demonstrado, pode levar a alterações cognitivas nas crianças, com diminuição do seu Quociente de Inteligência (QI), pode produzir um risco maior de aborto, de nascimento prematuro, de anomalias congénitas, de deficiências psicomotoras, de doenças neurológicas e da tiroide.
No recém - nascido, a carência de iodo aumento o risco de morte perinatal, de hipotiroidismo e de atrasos no desenvolvimento
mental e físico.
Fonte: Bial

terça-feira, 8 de abril de 2014

Síndrome do intestino irritável


O que é a SII
A síndrome do Intestino Irritável (SII) caracteriza-se por um conjunto de sintomas, entre os quais os mais comuns são: dor ou desconforto abdominal (geralmente descritos como cólicas), distensão abdominal,gases, diarreia e/ou obstipação. A SII atinge o cólon (intestino grosso), que é a parte do aparelho digestivo onde se acumulam as fezes. A SII não é uma doença propriamente dita - é uma perturbação funcional, ou seja, uma condição na qual o intestino não funciona correctamente.
O que causa a SII?
A causa da SII não está totalmente esclarecida. Em doentes com SII, os nervos e músculos do  intestino parecem ser particularmente sensíveis. Estes músculos poderão contrair-se excessivamente quando come, causando cólicas ou diarreia durante ou logo após a refeição. Por outro lado, os nervos poderão reagir quando o intestino se distende, causando cólicas ou dor. A SII pode ser uma condição dolorosa mas não provoca lesões no cólon ou noutras partes do aparelho digestivo, nem conduz a outros problemas de saúde.



Quais são os sintomas da SII?

Os principais sintomas da SII são:
  • dor ou desconforto abdominal, geralmente aliviados por ou assciados aos movimentos intestinais;
  • diarreia crónica, obstipação ou a combinação de ambas,
  • muco esbranquiçado nas fezes;
  • abdómen inchado ou distendido;
  • sensação de esvaziamento intestinal incompleto;
  • As mulheres que sofrem de SII costumam ter mais sintomas durante a menstruação.

Como é diagnosticada a SII
O médico pode suspeitar de SII pelos sintomas que lhe apresentar. Alguns sintomas mais específicos, chamados "Critérios de Roma", permitem fazer um diagnóstico mais exacto. há ainda exames médicos que podem ser realizados para garantir que não existem outros problemas de saúde que justifiquem os mesmos sintomas.

Como é tratada a SII?
A SII não tem cura, no entanto pode fazer algumas coisas para aliviar os sintomas. O tratamento pode envolver:
  • alterações da dieta;
  • medicação;
  • alívio do stress.
  • Poderá ter de tentar algumas destas medidas para perceber qual ou quais funcionam melhor consigo. o se médico irá ajudá-lo a encontrar o plano de tratamento mais adequado.

Alterações da dieta
Alguns alimentos e bebidas agravam os sintomas da SII, tais como: alimentos gordurosos (ex: batatas fritas); produtos lácteos, como queijo ou gelados; chocolates, bebidas alcoólicas; bebidas com cafeína, como o café e alguns refrigerantes; bebidas gaseificadas.
Para perceber quais os alimentos problemáticos, mantenha um diário onde registe:
o que come durante o dia;
os sintomas que surgem;
que alimentos o (a) deixam sempre queixoso (a).
leve as suas notas consigo quando for ao médico para verificar se alguns dos alimentos desencadeiam ou agravam os seus sintomas. Se assim for; deverá evitar ou reduzir a ingestáo destes alimentos.

Alguns alimentos aliviam os sintomas da SII. As fibras ajudam a reduzir a obstipação associada à SII porque tornam as fezes mais moles. Contudo, alguns indivíduos com SII com maior sensibilidade nervosa poderão sentir maior desconforto abdominal após aumentarem o conteúdo de fibras na dieta (presentes no pão, cereais, leguminosas, fruta e vegetais). Deverá adicionar fibras à sua dieta de forma gradual para permitir que o organismo se adapte. O consumo excessivo de fibras pode causar gases e, consequentemente, desencadear outros sintomas de SII.

Faça refeições ligeiras. Refeições pesads podem causar cólicas e diarreia em indivíduos comSII. Se for o seu caso; procure fazer quatro  ou cinco refeições ligeiras por dia em vez de refeições pesadas menos frequentes.

Medicação
O médico poderá receitar-lhe medicamentos que ajudam a aliviar os sintomas:
os laxantes tratam a obstipação. Existem muitos tipos de laxantes disponíveis. O seu médico poderá ajudá-lo a escolher o laxante indicado para si.
os antiespasmódicos controlam os espasmos do cólon e ajudam a aliviar a dor abdominal.
os antidepressivos, mesmo em doses mais baixas do que as utilizads para tratar a depressão, poderão ajudar a reduzir o desconforto ou dor abdominal associados à SII e, dependendo do tipo escolhido, aliviar a diarreia ou obstipação.



O stress causa SII?
O stress emocional não causa a SII mas poderá agravar os seus sintomas. Reduzir os níveis de stress poderá ajudar a aliviar os sintomas da SII; nomeadamente as cólicas e dor , e facilitar a forma como lida com os restantes sintomas. A meditação , exercício, hipnose e aconselhamento são opcções a considerar para aliviar o stress.


Fonte:
National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
X

Tratar Saúde

Receba no seu e-mail dicas de saúde

Subscreva a newsletter gratuita.





Pesquisa personalizada