sábado, 26 de setembro de 2015

Citologia do colo do útero ou teste Papanicolau



Questões frequentes
Cancro do colo do útero e rastreio
E informação sobre a mais recente tecnologia que lhe oferece um teste  melhor

O que é o cancro do colo do útero?
O cancro do colo do útero é um cancro do cérvix, a parte inferior e estreita do útero que faz a ligação com o canal vaginal. É o segundo tipo de cancro com maior incidência nas mulheres a nível mundial. No entanto, o cancro do colo do útero é altamente evitável, em grande parte parte devido aos testes de Papanicolau de rotina. A maioria dos casos de cancro do colo do útero está relacionada com o vírus do papiloma humano (HPV), mas também pode ter origem noutros fatores de risco.

O que é teste de Papanicolau ou citologia cervical?
O teste de Papanicolau ou citologia cervical é um teste de rastreio preventivo que consegue detetar indícios de cancro do colo do útero ou células que possam vir a transformar-se em células cancerígenas no futuro. Foi introduzido há mais de 50 anos e tem sido o fator que mais contribui para a redução global do cancro do colo do útero.

Porque devo efetuar um teste de Papanicolau?
A realização regular de testes de Papanicolau ajuda a prevenir o cancro do colo do útero. Podem ocorrer alterações a nível celular no colo do útero. Podem ocorrer alterações a nível celular sem que tenha quaisquer sintomas ou dor. Caso não sejam tratadas, as mais pequenas alterações celulares podem tornar-se graves com o passar do tempo.

Quem deve efectuar um teste de Papanicolau?
Os testes de Papanicolau devem ser realizados regularmente por todas as mulheres que já tenham iniciado a vida sexual. Mesmo que, neste momento, não seja sexualmente ativa ou tenha deixado de ter menstruações, continua a ter de realizar o teste de Papanicolau regularmente.

Como é feito o teste de Papanicolau?
A pessoa que recolher a amostra, normalmente um médico ou enfermeiro/a, raspa suavemente as células do colo do útero. Mo método tradicional, estas células são espalhadas diretamente numa lâmina de vidro e enviadas para um laboratório para análise microscópica.

O teste de papanicolau pode ainda ser melhorado?
Sim! A recolha do esfregaço pode provocar a constituição de camadas, o aglomeramento ou sobreposição das células de forma irregular, dificultando a interpretação. Além disso, foi demonstrado em estudos que a maioria do material celular pode não ser transferido para a lâmina e pode ser eliminado com o dispositivo de recolha da amostra.

O que diferencia o teste Thinprep Pap?
As células são recolhidas damesma forma do que no teste convencional. No entanto, as células são enxaguadas e colocadas num frasco com uma solução, permitindo que praticamente todas as células sejam capturadas. Depois, este frasco é enviado para um laboratório onde é processado, colocando-se uma fina camada de células na lâmina para análise microscópica. O processo Thin Prep melhora a qualidade da amostra, preparando uma lâmina para análise microscópica. O processo ThinPrep melhora a qualidade da amostra, preparando uma lâmina mais adequada para análise diagnóstica.

Existem evidências de que o teste ThinPrep Pap é mais eficaz?
O teste ThinPrep foi desenvolvido para resolver muitas das falhas associadas ao teste de Papanicolau convencional. Foi comprovado em estudos, a nível mundial, que o teste ThinPrep Pap é mais preciso do que o teste de Papanicolau convencional.

O que acontece se os resultados do meu teste forem anormais?
Um resultado de teste anormal não significa necessariamente algo de grave. Quando detetados precocemente, a maioria dos problemas que provocam um resultado de teste anormal podem ser tratados. São frequentemente provocados por uma inflamação ou infeção no colo do útero ou vagina. Se obtiver resultados de teste anormais, o seu médico pode tratá-la imediatamente com o tratamento que for mais adequado para si. Peça ao médico ou enfermeiro/a para lhe explicar os resultados e os passos seguintes.

Porque devo pedir um teste ThinPrep Pap?
O teste ThinPrep Pap é a primeira melhoria real ao teste de Papanicolau em 50 anos. Oferece um novo nível de confiança na precisão dos seus resultados.


O VPH e o cancro do colo do útero
O que é o VPH, ou vírus do papiloma humano, é um grupo de mais de 100 tipos de vírus que são transmitidos por contacto direto com a pele. A maior das estirpes de VPH desaparece por si mesma. No entanto, algumas estirpes de "alto risco", se forem persistentes, podem provocar cancro do colo do útero, embora seja raro. A melhor forma de efetuar o rastreio do cancro colo do útero é realizar, rotineiramente, o teste de Papanicolau e o teste ao VPH, se recomendado.

Quem pode ser infetado pelo VPH?
Cerca de 80% das mulheres sexualmente ativas contraem, pelo menos, uma estirpe de VPH genital até aos 50 anos de idade. Como o VPH raramente produz sintomas notórios, a maioria das pessoas afetadas pelo VPH nem sabe que o tem.

Quem deve efectuar o teste ao VPH?
Embora se saiba que o VPH de alto risco é o causador da maioria dos casos de cancro do colo do útero, apenas um pequeno número de infeções por VPH origina este tipo de cancro. Na verdade, a maioria das mulheres sexualmente ativas é exposta ao VPH, mas a maior parte destas infeções desaparecerá por si própria. Assim, o teste ao VPH é muitas recomendado juntamente com o teste de Papanicolau se:
Os resultados do seu teste de Papanicolau forem inconclusivos ou ligeiramente anormais
Tiver mais de 30 anos
Neste momento não existe cura para o VPH. Se o seu médico recomendar que faça o teste ao VPH juntamente com o teste de Papanicolau, ambos podem ser realizados a partir da amostra recolhida para o teste ThinPrep Pap. No entanto, para infeções persistentes, o método mais fiável para a deteção precoce é o teste de Papanicolau e o teste ao VPH de rotina, quando recomendado.

Fonte: Hologic
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
X

Tratar Saúde

Receba no seu e-mail dicas de saúde

Subscreva a newsletter gratuita.





Pesquisa personalizada