quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Tratamento para a secura vaginal


A secura vaginal, também conhecida por vaginite atrófica, é uma condição comum em mulheres na pós-menopausa. Esta condição também é frequente em mulheres que tenham retirado ambos os ovários na altura de uma histerectomia.
Algumas mulheres têm sintomas desconfortáveis de secura vaginal, tais como dor durante as relações sexuais, ardor ou comichão vaginal, ou corrimento vaginal anormal, enquanto que outras não têm qualquer sintoma.


Felizmente, existem vários tratamentos eficazes para a secura vaginal.Se tiver secura vaginal, converse com o seu médico sobre qual o tratamento mais adequado para si.

O que causa a secura vaginal?

O estrogénio ajuda a manter a vagina húmida e a espessura do revestimento vaginal. A secura vaginal ocorre quando os ovários produzem uma quantidade diminuída de estrógenio e pode acontecer em certas alturas na vida de uma mulher, podendo ser permanente ou provisória.
Alturas em que há uma diminuição de estrogénio podem incluir:
Altura da menopausa
Após remoção cirúrgica dos ovários, quimioterapia ou radioterapia da pélvis em casos de cancro;
Após o nascimento de um bebé especialmente em mulheres que amamentaram;
Durante a utilização de certos medicamentos, tais como Danazol, Medroxyprogesterona, Leuprolide ou Nafrelin
Quando se para de tomar estes medicamentos, a produção de estrogénio é retomada.

Tem sido demonstrado que mulheres fumadoras têm maior risco de uma menopausa precoce em comparação com mulheres não fumadoras. Por isso sintomas de vaginite atrófica podem aparecer numa idade mais jovem neste grupo da população.

Tratamento da secura vaginal

Existem três tratamentos opcionais para mulheres com secura vaginal:
  • Hidratantes ou lubrificantes vaginais
  • Estrogénio vaginal
  • Medicamentos sob a forma de comprimidos.
  • Todos os tratamentos de secura vaginal são provisórios. A secura vaginal reaparece quando o tratamento termina a não ser que os ovários produzam mais estrogénio.

Hidratantes e lubrificantes vaginais:

Os hidratantes e lubrificantes vaginais podem ser adquiridos sem receita. Estes produtos não contém quaisquer hormonas e praticamente não têm efeitos colaterais.

Os lubrificantes são concebidos para reduzir a fricção e o desconforto provocados pela secura durante as relações sexuais. O lubrificante aplica-se na vagina ou no pénis antes da relação sexual. Produtos concebidos como lubrificantes vaginais são mais eficazes do que lubrificantes que não concebidos para esse efeito, tais como a vaselina.


Lubrificantes à base de óleo, tais como a vaselina, óleo de bebé, ou óleo mineral, podem danificar preservativos de látex e/ou diafragmas e torná-los menos eficazes na prevenção da gravidez e na transmissão de infecções sexuais. Os preservativos em poliuretano podem ser utilizados com produtos à base de óleos. Lubrificantes à base de água ou silicone podem ser utilizados com preservativos de látex e diafragmas.

Lubrificantes naturais, como o azeite, abacate ou óleo de amendoim são produtos fáceis de encontrar que podem ser utilizados como lubrificante durante as relações sexuais. Mais uma vez, não se recomenda a utilização de óleos naturais com preservativos de látex ou diafragmas, já que o óleo pode danificar o látex.

Os hidratantes vaginais são formulados para permitir a retenção de água nos tecidos vaginais. São aplicados na vagina três vezes por semana para permitir um efeito contínuo de hidratação. Não devem, contudo ser utilizados apenas antes das relações sexuais, uma vez que podem causar inflamação.

Loções das mãos e corporais não devem ser utilizados para aliviar a secura vaginal, uma vez que podem causar inflamação nos tecidos vaginais.


Estrogénio vaginal

É o tratamento mais eficaz para mulheres com secura vaginal. O estrogénio vaginal deve ser receitado por um profissional de saúde.
Podem ser utilizadas doses muito baixas de estrógenio vaginal, colocado na vagina para tratamento da secura vaginal. Uma pequena dose de estrogénio é absorvida pela corrente sanguínea, mas apenas cerca de 100 vezes menos do que através da utilização de comprimidos. Como resultado, existe um risco muito menor de efeitos colaterais, tais como coágulos sanguíneos, cancro da mama e ataque cardíaco, em comparação com outros produtos que contêm estrogénio (pílula ou terapia hormonal na menopausa).

Existem vários tipos de produtos de estrogénio vaginal, tais como creme, comprimidos ou anel vaginal.

Por quando tempo posso utilizar estrogénio vaginal?

O estrogénio vaginal é considerado seguro e provavelmente pode ser utilizado por tempo indefinido, embora não existam estudos a longo prazo que confirmem a sua fiabilidade.


O estrogénio vaginal é seguro para mulheres com historial de cancro da mama?
A fiabilidade do estrógenio vaginal em mulheres com um historial de cancro da mama não é clara. Uma pequena quantidade de estrogénio pode ser absorvida da vagina para a corrente sanguínea. Se tem um historial de cancro da mama, fale com o seu médico ou oncologista sobre os potenciais riscos e benefícios do estrogénio vaginal.


Atividade sexual
O estrogénio vaginal melhora a secura vaginal de forma rápida, normalmente no prazo de algumas semanas. Pode continuar a ter relações sexuais durante o tratamento da secura vaginal porque o próprio ato sexual ajuda a manter os tecidos vaginais saudáveis.
A penetração vaginal pode ajudar os tecidos vaginais, mantendo-os macios e maleáveis impedindo que encolham.

Se as relações sexuais continuam a ser dolorosas apesar do tratamento para a secura vaginal, fale com o seu médico.
Fonte: Italfarmaco

Artigos realacionados:
Secura vaginal

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
X

Tratar Saúde

Receba no seu e-mail dicas de saúde

Subscreva a newsletter gratuita.





Pesquisa personalizada