terça-feira, 14 de maio de 2013

O que deve saber sobre a Rinite Alérgica

O que é a Rinite Alérgica?

A Rinite Alérgica (RA) define-se como uma inflamação da mucosa nasal induzida pela exposição a alergénicos e caracteriza-se por sintomas como corrimento aquoso nasal, espirros, obstrução nasal e /ou comichão no nariz.
É uma condição crónica muito frequente em crianças. Aproximadamente 50% dos casos de rinite nas crianças são induzidas por alergias.
Dados colhidos no estudo ARPA apontavam em 2007 para uma prevalência de 22% nas crianças portuguesas entre os 3 e os 5 anos de idade. Considerando a população geral, o mesmo estudo aponta para uma situação de sub-diagnóstico e de sub-tratamento em doentes com elevada gravidade de sintomas.

A RA é, atualmente, uma das doenças crónicas mais frequentes na população pediátrica, com efeitos nocivos no bem-estar, na qualidade de vida e na capacidade de aprendizagem. Se mal controlada pode, ainda, associar-se ao desenvolvimento de outras complicações com Asma e Sinusite.

Tipos de Rinite Alérgica e fatores desencadeantes.
Rinite alérgica intermitente: os sintomas apresentam-se durante <4 br="" consecutivas.="" dias="" numa="" ou="" semana="" semanas="">Rinite alérgica persistente: Os sintomas apresentam-se durante > ou = numa semana e >4 semanas consecutivas.

A RA também pode ser classificada com base na gravidade dos sintomas:
RA ligeira- Sem perturbações do sono com base na gravidade dos sintomas:
RA moderada a grave - os sintomas interferem com o sono ou são perturbadores do desempenho nas atividades diárias habituais.

A RA pode ser desencadeada por alergénios exteriores, como o pólen, sendo os sintomas limitados à estação polínica (conhecida como RA sazonal) ou por alergénios interiores como ácaros, com sintomas durante todo o ano (chamada de RA perene).

Alguns dos alergénios mais comuns:
Pólenes
:os pólen das ervas, árvores e arbustos são habitualmente os alergénios do meio exterior mais importantes. Em Portugal, os pólenes mais frequentemente implicados nos sintomas alérgicos são: das gramíneas (também conhecidas por fenos) e da oliveira. Os grãos de pólenes são transportados pelo vento podendo viajar longas distâncias (centenas de Kms) e, em consequência disso, afetar pessoas que estão longe das plantas que os produzem. Para informação real sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosférico nas diferentes regiões de Portugal, consulte o Boletim Polínico (www.rpaerobiologia.com).

Fungos: as condições atmosféricas são determinantes na concentração em que existem no meio ambiente. Neste grupo, destacam-se Alternaria, o Cliclosporiridium e o Arpergillus.

Ácaros: são os alergénios mais implicados na doença alérgica. Os ácaros constituem grande parte do pó da casa, alimentam-se de células mortas da pele e abundam nos colchões , almofadas, carpetes, brinquedos de peluche, cortinas grossas, etc. Necessitam de condições de humidade e temperatura relativamente altas para sobreviverem.

Pêlo de animais: O pêlo e as secreções dos animais contêm alergénios potentes capazes de provocar reações alérgicas.

O "ar contaminado" também pode ser desencadeante de sintomas alérgicos. Neste grupo, a principal fonte é o fumo do tabaco. A exposição pré- natal e, de lactentes, ao fumo do tabaco aumenta a sensibilização alérgica em crianças durante os primeiros 3 anos de vida.

Quais são os principais sintomas da Rinite Alérgica?
A RA pode ser difícil de diagnosticar em crianças em idade pré-escolar, uma vez que pode os sintomas podem confundir-se com os de uma rinite infecciosa (vulgar constipação). Assim, sintomas que se prologuem no tempo devem no tempo devem ser avaliados para determinar a sua causa.
Os principais sintomas da RA são:
  • Espirros
  • Corrimento aquoso nasal ( rinorreia)
  • Obstrução nasal
  • Comichão nasal

Se há conjuntivite alérgica associada (Rinoconjuntivite alérgica) surgem, também:
  • Lacrimejo
  • Comichão ocular
  • Olho vermelho e/ou inchado
  • Intolerância à luz

Como diagnosticar a Rinite Alérgica?
O diagnóstico é baseado na história típica de sintomas alérgico e na história familiar associados à observação clínica.
Para se diagnosticar e caracterizar uma RA, recomenda-se a realização dos exames de despiste de alergia. Os alergénios inalados são os desencadeantes mais frequentes na RA na idade pediátrica. contudo, não se devem descuidar as alergias alimentares nas idades mais novas.
Os testes cutâneos e a medição de igEs específicas no sangue permitem identificar os alergénios causadores da sintomatologia, confirmando e caracterizando a causa alérgica.

O impacto da rinite alérgica na vida das crianças
Esta patologia pode ter um impacto negativo na qualidade de vida das crianças, afeta o seu bem estar psicológico e a sua capacidade para realizar atividades diárias. Quando não se trata adequadamente, a RA pode exacerbar-se e contribuir para o aparecimento de outras co-morbilidades, incluindo a asma, sinusite e otite média.

Não controlar a RA, pode associar-se também a problemas de apreendizagem, por ausência dum sono de qualidade e, consequente , fadiga diurna.

Tratamento da rinite alérgica

  • O tratamento da RA deve combinar:
  • Educação do doente
  • Evicção alergénica (quando possível)
  • Fármacos
  • Vacinas anti-alérgicas (em casos seleccionados)



Algumas medidas de evicção alérgica incluem:

Ácaros - manter na habitação condições que reduzam o risco de acumulação de poeira doméstica, com um arejamento e ventilação adequados. para reduzir o contacto com os ácaros , deve aspirar frequentemente a habitação e, também , o mobiliário estofado e o colchão (escolher aspiradores com filtro HEPA9. Optar por coberturas anti-ácaros, para colchões e almofadas, pode ser eficaz. Deve lavar-se toda a roupa da cama com água quente (60ºC) uma vez por semana. É igualmente recomendado remover carpetes , peluches e outros que possam acumular pó.

Fungos - remover os bolores presentes na habitação com soluções de limpeza adequadas e controlar a humidade pelo uso de desumidificadores, podem reduzir o crescimento de fungos na habitação

Animais de estimação - remover os animais da habitição é a melhor forma de evitar a manifestação alérgica. Quando tal não é possível, é importante que, pelo menos, os animais permaneçam fora do quarto. Aos cães e gatos deve, ainda ser dado banho 1 vez por semana.

Pólenes - para reduzir a exposição aos pólenes, deve-se manter as janelas fechadas e usar ar condicionado na estação polínica, sobretudo, quando a contagem de pólenes for elevada ou em dias de muito vento. Evitar andar ou ter atividades no exterior (ex. desporto), quando as plantas causadoras dos sintomas estão em flor e, sobretudo, durante a manhã, altura em que as concentrações de pólenes são, habitualmente, máximas.
O objectivo principal do tratamento é controlar os sintomas, sem interferir nas capacidades das crianças e prevenir as sequelas da RA.
Os fármacos recomendados para o tratamento da RA incluem: anti-histamínicos (não-sedativos), anti-inflamatórios (corticóides) e outros, como os descongestionantes nasais (uso limitado).

Os corticóides inta-nasais demostraram ser os mais eficazes no controlo de todos os sintomas da RA (incluindo, nos sintomas de conjuntivite alérgica concomitante), sem efeitos adversos significativos associados. De salientar, que os corticóides utilizados nos sprays intra-nasais são eficazes e seguros.
Para aumentar a adesão e o cumprimento terapêutico, é aconselhável saber para que serve cada um dos medicamentos a tomar, incluindo os benefícios e, também, os seus possíveis efeitos adversos.

Para serem eficazes, sprays intra- nasais devem ser usados regularmente e não apenas quando existem sintomas. É importante cumprir a terapêutica diariamente como recomendado, mesmo quando os sintomas estão controlados.

Lembrar que nalguns casos, pode decorrer 1 a 2 semanas para se alcançar o pleno beneficio da medicação, devendo esta ser mantida sem interrupção.

Se tiver alguma dúvida, consulte o seu médico farmacêutico ou enfermeiro.

Resumo chave
Mais de 2 milhões de pessoas sofrem de Rinite Alérgica (RA) em Portugal.
Maioria das crianças sofre de RA durante todo o ano - RA perene.
Nalguns casos, os sintomas de RA surgem apenas durante a estação polínica. É a chamada de RA sazonal (apelidada de "febre dos fenos").
Os sintomas da Ra podem interferir com o sono e ser causadores de mal-estar diurno:

  • Obstrução nasal,
  • Corrimento aquoso nasal.
  • espirros,
  • comichão nasal e, por vezes , ocular,
  • olhos vermelhos e lacrimejantes.

A RA pode afetar a capacidade de concentração e raliazação das actividades escolares.
Os corticóides intra-nasais são o tratamento médico mais eficaz no controlo dos sintomas da RA, incluindo nos sintomas de conjuntivite alérgica concomitante.
A RA não tratada pode associar-se ao aparecimento de outras complicações (ex.Sinusite)
Certifique-se que segue as indicações médicas.

Fonte: MSD


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
X

Tratar Saúde

Receba no seu e-mail dicas de saúde

Subscreva a newsletter gratuita.





Pesquisa personalizada